Competências Transversais para Ciências e Tecnologia

Objetivos

Nesta unidade curricular, pretende-se motivar os estudantes a encarar a sua formação universitária na perspetiva do mercado de trabalho.

Pretende-se dotar os estudantes de algumas competências transversais relevantes para a área de Ciências e Tecnologia.

Caracterização geral

Código

10352

Créditos

3.0

Professor responsável

Nelson Fernando Chibeles Pereira Martins

Horas

Semanais - 4

Totais - 54

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Esta unidade curricular não tem requisitos prévios.

Bibliografia

- Costa, R., Kullberg, J., Fonseca, J., Martins; N., “Competências Transversais para Ciências e Tecnologia – FCT/UNL” (2013) 

Método de ensino

Os temas são abordados num total de 5 aulas TP (cada uma de 2h) e 15 aulas P (cada uma de 3h):

 - Em cada aula teórico-prática de 2h são apresentados os aspetos fundamentais dos temas, destacados os erros a evitar durante a exploração dos conteúdos do tema e realçadas as principais ferramentas que podem ser utilizadas.

A avaliação final da u.c. será baseada no trabalho desenvolvido individualmente e em grupo durante cada semana e em testes individuais executados na plataforma de e-learning moodle em ambiente controlado.

Método de avaliação

CTCT é uma Unidade Curricular obrigatória do 1º ano da grande maioria das licenciaturas da FCT e decorre durante o Período Intercalar. Em 2022/23 decorrerá com aulas presenciais de 23 de janeiro a 23 de fevereiro de 2023.

 

 

1 – Sobre a Pontualidade:

A primeira aula P de 24 de janeiro começa, excecionalmente, às 9h para permitir um momento de Apresentação.

As restantes aulas práticas (P) iniciam-se às 10h00. Cada aluno deve entrar na sua sala entre as 9h50 e as 10h00. 

Cada aluno deve entrar na sala correspondente às aulas teórico-práticas (TP) com 15 minutos de antecedência sobre a hora oficial de início da aula. 

2 – É obrigatória a obtenção de Frequência para que um aluno possa obter Aprovação. Um aluno só obtém Frequência se tiver pelo menos 12 presenças nas aulas P lecionadas no seu turno e, ainda, pelo menos 15 presenças no total das aulas P e TP. 

3 A avaliação de conhecimentos em CTCT é feita exclusivamente através de atividades que decorrem no período letivo. Nesta unidade curricular NÃO há exames (época de recurso, especial ou melhoria).

 Para os alunos com estatuto especial registado no CLIP, ou em circunstâncias muitíssimo especiais devidamente justificadas e que comprovadamente não possam participar nas aulas, poderá ser proposto um método de avaliação alternativo. Estes alunos terão de fazer uma solicitação à Coordenação de CTCT, até 6 de janeiro 2023, justificando devidamente o seu pedido.   

 4 – A falta a uma aula impede a realização de atividades de avaliação, que não serão repetidas. A classificação final de um aluno não será ajustada para compensar eventuais faltas às aulas, mesmo que a falta seja devidamente justificada.

 5 – Se um aluno desejar, poderá preencher o pedido de justificação de falta e submeter ocomprovativo de justificação de falta diretamente na página MOODLE CTCT2022/23.

 O comprovativo a submeter é a digitalização da declaração oficial, ou equiparada, que sirva para justificar a(s) falta(s) (alguns exemplos: declaração médica de doença; declaração de presença em tribunal; declaração de presença no Dia da Defesa Nacional; declaração de presença em funeral).

 A submissão terá de ser feita até 3 dias úteis após a última falta consecutiva.

 A Coordenação de CTCT avaliará o pedido de justificação de falta e, caso seja considerado válido, a falta será considerada "presença" apenas para efeitos de Frequência. No entanto, nunca será feito qualquer ajustamento relativo às atividades de avaliação não realizadas pelo aluno.

 

6 – A avaliação de conhecimentos é feita em 3 áreas: Participação (com um peso de 15%), Trabalho Individual (35%) e Trabalho de Grupo (50%).

 No total, cada aluno terá mais de 65 atividades de avaliação nas várias aulas P e TP.

 O Trabalho Individual decompõe-se em duas componentes: Escrita Presencial Individual (EPI) e Escrita Não Presencial Individual (ENPI).

 O Trabalho de Grupo decompõe-se em três componentes: Porta-Voz de Grupo (PVG), Trabalho de Grupo (TG), e Auto e Hetero-Avaliação (AHA).

 73,9% das atividades são realizadas em grupo e 26,1% realizadas individualmente.

 91,3% são atividades escritas e 8,7% são atividades orais (PVG).

 82,6% das atividades são presenciais e 17,4% são não presenciais (TPC).

 47,8% das atividades serão classificadas na escala 0-1 (0 – não fez o mínimo; 1 – fez pelo menos o mínimo); 36,2% das atividades serão classificadas na escala 0-3 (0 – não fez o mínimo; 1 – desempenho fraco; 2 – desempenho médio; 3 – desempenho elevado), 10,1% são classificadas na escala 0-5 (0 – não fez o mínimo; 1 – desempenho muito fraco; 2 – desempenho fraco; 3 – desempenho médio; 4 – desempenho bom; 5 – desempenho muito bom) e 5,8% dizem respeito à avaliação AHA.

 Em geral, as classificações atribuídas nas atividades serão expressas em números inteiros, de acordo com a respetiva escala. Excecionalmente, as atividades avaliadas automaticamente pela plataforma MOODLE, poderão ser expressas com uma casa decimal.

 No quadro seguinte, esquematiza-se as diferentes componentes da avaliação, seu domínio de pontuação e de cotação (em valores):

 

Componente de Avaliação

Participação

(ver ponto 10)

Individual

Grupo

EPI

ENPI

PVG

TG

AHA

Domínio de pontuação (pontos)

0¯ a 30+

0 a 15

0 a 13

0 a 14*

0 a 93

3¯ a 12+

Domínio de Cotação (valores)

0 a 3,0

0 a 4

0 a 3

0 a 1,5

0 a 7

0 a 1,5

Nota (*): A avaliação do tipo PVG será atribuída ao grupo a partir da exposição oral de um ou mais elementos do grupo.

 

7 – A conversão da pontuação obtida numa componente em classificação é feita linearmente. Zero pontos corresponderá a zero valores e o número máximo de pontos corresponderá à classificação máxima na componente de avaliação.

 Na componente AHA atribui-se a classificação máxima (1,5 valores) a alunos com pelo menos 12 pontos. A alunos com 3 pontos ou menos atribui-se zero valores.

  

8 – A componente de Participação será avaliada do seguinte modo:

 Por cada aula (P ou TP) assistida com participação interessada aluno terá +1 ponto.

  • Por cada aula (P ou TP) assistida com desempenho invulgarmente positivo o aluno terá +2 pontos. Nota: Em cada aula, o número de desempenhos invulgarmente positivos destacados pelo docente não poderá exceder 10% do número de alunos da turma.
  • Quando o aluno falta, ou se estiver presente, mas sem participar nem perturbar a aula, não terá qualquer ponto atribuído.
  • Por cada aula P com comportamento perturbador o aluno terá –1 ponto.
  • Por cada aula TP com comportamento perturbador o aluno terá –2 pontos.

 

Assim, cada aluno poderá ter entre -25 e 40 pontos de Participação, que serão convertidos na escala entre 0 e 3 valores. Valores de participação inferiores a 0 pontos corresponderão a zero valores. Acima de 30 pontos serão atribuídos 3 valores.

 

 9 – Depois de apuradas as classificações finais, cada docente de turma P pode, excecionalmente e mediante justificação escrita à Coordenação de CTCT, propor a bonificação da classificação de um aluno dependendo do seu desempenho nas aulas. Cada docente poderá atribuir, no máximo, 2 valores de bonificação por turma. A bonificação por aluno é um número inteiro e não superior a 1 valor.

 

10 – A Frequência obtida por um aluno num dado ano letivo, em caso de Reprovação, só é válida no ano letivo seguinte. No entanto, as classificações obtidas em atividades num dado ano letivo só são válidas no ano letivo em que foram obtidas.

 

11 – Num ano letivo um aluno estará Aprovado se tiver Frequência válida e se tiver obtido nesse ano pelo menos 9,5 valores na totalidade das componentes avaliadas.

Consulte o documento completo da Avaliação de Conhecimentos no Clip>Documentos de Apoio

Conteúdo

1 - Planeamento Curricular para a Empregabilidade:

Curriculum Vitae, sua importância e apresentação.

Carta de Motivação.

A Entrevista e a Imagem.

As Redes Sociais e o Emprego.

Planeamento Curricular – aspetos a considerar para melhorar o seu CV.

O Teste Psicotécnico no processo de seleção e recrutamento.

 

2 - Gestão do Tempo, Trabalho em Equipa e Liderança

Gestão do Tempo:

A importância do planeamento diário.

Objetivos SMART.

Importante vs. Urgente: Modelo de Stephen-Covey.

Desperdiçadores de Tempo.

Eficiência vs. Eficácia

Adiamentos sistemáticos.

Adiamentos vs. Perfecionismo.

Gestão de e-mails e Redes Sociais.

Trabalho em Equipa:

Trabalho Colaborativo – Ferramentas de Edição de Textos.

Fatores de coesão e de perturbação da equipa.

Escuta Ativa.

Liderança:

O Líder e a Gestão de Tarefas, Gestão Individual e a Gestão do Grupo.

Estilos e Valor da Liderança.

Caraterísticas de um Líder.

Linguagem positiva.

 

3 - Utilização avançada de Folhas de Cálculo

Introdução ao Excel.

Introdução ao comando “SE”.

Introdução aos comandos “E” , “OU” associados a “SE”.

Representação Gráfica.

Formatação Condicional.

Tabela Dinâmica.

Comandos de Contagem

Estatística Básica no Excel.

Procura Vertical de Informação (“PROCV”).

Otimização de uma função – aplicação à Gestão de Stocks. Utilização do Solver.

Introdução ao módulo de Visual Basic do Excel.

Definição e funções em VB. Introdução às macros em VB/Excel.

  

4 - Pesquisa Bibliográfica. Análise de Informação. Ética e Deontologia.

 

Pesquisa bibliográfica com recurso à Internet. 

Objetivos da pesquisa bibliográfica em Ciência e Tecnologia. 

Critérios para otimização da pesquisa. 

Informação pertinente e informação fidedigna. Fontes de informação credíveis. 

Utilização de um motor de pesquisa especializado para fins académicos. 

Acesso aberto vs acesso restrito. 

Utilização de IGNOREes fidedignas em portais de acesso restrito e para IGNOREes abertas. 

Recursos existentes na b-on e no RCAAP.

 

Análise (e avaliação) de informação. 

Escolha de critérios para a avaliação de informação para a execução de trabalhos em Ciência e Tecnologia. 

Resumos versus sínteses. 

Software anti-plágio.

 

Ética e Deontologia: 

Conceito de plágio. Formas comuns de plágio, possíveis motivos e como evitar. 

Formas de deteção de plágio. 

Deteção de passagens que configuram situação de plágio através do software Ephorus.

 

Conceitos de Moral, Ética e Deontologia. 

Exemplos de Ética em Ciência e de Deontologia no desempenho profissional. 

O Plágio e a Fraude no Regulamento de Avaliação da FCT/UNL. 

Os deveres e o dilema no desempenho profissional.


 

5 - Comunicação em Ciências e Tecnologia.

 

 A Importância da Comunicação.

 

 Tipos de Comunicação.

 

 Comunicação através de um documento manuscrito.

 

 Documento manuscrito. Apresentação dos documentos manuscritos.

 

 Recomendações para uma apresentação oral.

 

 Elaboração de relatório, comunicação oral e poster.

 

 Comunicação através de um documento escrito. Recomendações.

 

 Comunicação com recurso a meios Audio-Visuais.

 

 Poster. Recomendações.

 

 Comunicar por e-mail.

 

 Comunicar na Internet: Fóruns, Chats e Redes Sociais.

 

 Ortografia.